Apresentação

Desenvolvimento em Debate é uma revista indexada de publicação periódica editada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento. A revista publica artigos originais de pesquisa, ensaios e resenhas relacionados com a temática do desenvolvimento socio-econômico. Énfase é dada a trabalhos que analizam o papel do Estado e das instituições no desenvolvimento, políticas públicas setoriais e estratégias de desenvolvimento, o papel da geopolítica na dinâmica econômica e sustentabilidade ambiental, como também a trabalhos que analisam casos nacionais ou com perspectiva comparada, em particular de países da América Latina. Para tal fim, Desenvolvimento em Debate é publicada três vezes por ano e aceita trabalhos em português, espanhol e inglês. Pelo menos um dos autores deve ter titulação mínima de mestre.

Contato: revdesenvolvimentoemdebate@gmail.com

Acesse as Normas para Publicação disponíveis na aba Política Editorial.

ISSN: 2176-9257 (Online) – Frequência: 3 números por ano

Carta do Editores – v.8, n.2, maio-agosto 2020

Capa: Desenvolvimento em Debate - v.8, n.2, maio-ago. 2020Este número da Desenvolvimento em Debate apresenta um conjunto de trabalhos que analisam, desde diferentes perspectivas teóricas e analíticas, políticas públicas setoriais, incluindo políticas de apoio à produção agropecuária e industrial, estratégias de desenvolvimento – tanto em plano local e regional como nacional – e análise dos investimentos públicos.

O trabalho que abre o volume, Avaliação do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel no Contexto do Desenvolvimento Regional e Inclusão Social, de Pedro Gilberto Cavalcante Filho, Antônio Márcio Buainain e Marcelo Pereira da Cunha, avalia, como o título indica, a experiência do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB), lançado em 2004. Em sua opinião, “diferente dos outros programas de estímulo à produção de biocombustíveis, o PNPB inovou e adotouobjetivos ambiciosos de promoção do desenvolvimento regional das regiões periféricas. No entanto, as usinas se estabeleceram nas regiões tradicionalmente produtoras de soja (Sul e Centro-Oeste). Essa ação acabou “por distorcer os objetivos de promoção do desenvolvimento regional no Norte e Nordeste e contribuiu para a concentração da inclusão social dos agricultores familiares do Sul”. o Programa não tem sido capaz de fomentar o cultivo de culturas alternativas mais viáveis para o pequeno produtor, selecionou apenas os agricultores mais capitalizados e com condições de produzir a soja em sua propriedade de forma rentável, o que explica a produção de biodiesel familiar ficar concentrada na região Sul, ser marginal na região Centro-Oeste e inexpressiva nas demais regiões. Assim, esses resultados implicam em maior geração de emprego e renda na agricultura familiar sulista em comparação com o setor agrícola familiar das outras regiões.

A seguir, Letícia Favaretto, Juliana Favaretto, Reisoli Bender Filho, Daniel Arruda Coronel, Rita Ines & Paetzhold Pauli, autores do artigo Distribuição Espacial do Índice Regional de Crédito Rural para as Microregiões do Rio Grande do Sul (2000-2015), analisam qual a distribuição espacial do crédito rural em relação ao valor adicionado pela produção agropecuária para as microrregiões do Estado do Rio Grande do Sul, examinando a distribuição do crédito rural como também deslocamentos e concentrações dos recursos. Os autores demonstram que a distribuição do crédito rural não acompanhou proporcionalmente a participação relativa no valor adicionado da agropecuária entre as microrregiões e que existe concentração em algumas regiões que, afirmam, são determinadas pela participação das principais atividades no valor adicionado bruto da agricultura, relacionado, por sua vez, com as atividades econômicas desenvolvidas localmente. Mostram, também, a importância do papel de financiamento público, tendo em conta que o “estado teve uma participação maior no volume de crédito do que no valor adicionado da agropecuária nacional”.

Continue lendo...

acesse a edição atual >